sábado, 28 de agosto de 2010

Be Be: Sextoys para mulheres por mulheres.

Os produtos eróticos percorreram um longo caminho. Anos atrás, as mulheres nem sequer falavam sobre eles. Em seguida, As meninas de Sex and the City nos apresentou ao Rabbit e começamos a nos divertir muito. Mas parece que as novidades hoje são uma constante no universo das sextoys para mulheres.

Quando vi pela primeira vez o Be Be eu pensei que fosse um massageador pessoal e após ler mais sobre o produto é que realmente descobri todo este universo feminino! O Be Be foi criado por duas mulheres e um designer australiano premiado, e muda tudo o que você pensa sobre vibradores.

Primeiro de tudo, é um vibrador para ser usado internamente, mas fica encostado na área pubiana para estimulação externa. E já que a maioria das mulheres atinge o orgasmo muito mais facilmente através da estimulação do clitóris, Be Be executa muito bem esta tarefa. Em vez da tradicional forma peniana o Be Be tem curvas ergonômicas e parece muito luxuoso. Além de ser bem discreto.

É acionado através de dois botões de toque único, com oito velocidades de vibração pode ir direto ao máximo ou pode alcançar o orgasmo ponto a ponto. É ótimo para usar sozinho ou com um parceiro, possui bom funcionamento e o corpo de plástico desliza sobre seu corpo suavemente. Apesar do motor ser poderoso ele é bem silencioso, um sussurro, ufa. É um vibrador bem elegante, que poderia ser usado para presentear uma amiga. Ele vem em uma bolsa de cetim dentro de uma caixa de presente em forma de ovo de estanho, muito linda.

Este é realmente um vibrador projetado para as mulheres, por mulheres. Seus criadores Lisa Hughes e Kristine Morgan passaram dois anos pesquisando, projetando e testando o Be Be, e criou um produto muito feminino para fazer as mulheres se sentirem melhor sobre si mesmas para que possam ser mais felizes e saudáveis sexualmente. Não é fantástico?

Infelizmente até o momento Be Be só é vendido na Europa, Estados Unidos e Nova Zelândia.

Fonte: Paula Aguiar - Atenasonline

Consulte a seção de vibradores da "Boutique" Desejo Íntimo acessando "www.sexshopdesejointimo.com.br"

terça-feira, 24 de agosto de 2010

19 brincadeiras eróticas para fazer a dois.

Este texto foi publicado pela Renata Rode e busca comentar como não cair na monotonia, esquentar a cumplicidade e ter um relacionamento mais duradouro.

Quer esquentar o namoro ou casamento sem sair de casa? Isso é possível e, segundo especialistas, é uma prática que deve ser adotada na busca por um relacionamento feliz. Alimentar a vida sexual deve se equiparar ao ato de cuidar de uma planta, por exemplo, que deve ser regada constantemente.

“Buscar alternativas para alimentar a satisfação sexual é essencial para o sucesso da união. Acho fundamental a busca por jogos ou produtos para apimentar a sexualidade do casal, desde que seja de comum acordo, ou seja, que os dois gostem e concordem”, explica a psicóloga de família e casais, Valéria Rocha Brasil.

Para a especialista, assim como cuidamos da saúde física e emocional, devemos dar atenção também à saúde sexual, com equilíbrio em tudo que fazemos. “É importante respeitar os limites do outro e não embasar os estímulos da vida sexual somente em produtos. Isso deve ser um artifício usado de vez em quando para inovar.

Toda tentativa deve ser válida desde que isso não violente o contexto social do casal ou torne-se uma obrigação. Enquanto for saudável e estimular os dois, tudo vale”
, ensina Valéria.

Quem usa, aprova. “Estamos casados há alguns anos e ela sempre me surpreende com suas iniciativas. Todo mês eu separo uma verba para que ela faça as compras eróticas e uma surpresa por semana pelo menos. Isso esquenta nossa cumplicidade e a relação”, confessa M.P., advogado, 46 anos.

Para outra cliente assídua de joguinhos da sedução, essa é uma garantia de fidelidade. “Procuro alimentar as fantasias dele de forma que ele se sinta completamente satisfeito a meu lado, e, assim, não pense em me trair com outra mulher, já que eu sou liberal a ponto de colocar pimenta sempre que posso em nosso relacionamento, por meio de brincadeiras e produtos que usamos juntinhos”, diz F. C., personal trainer, 33 anos.

Fonte: Renata Rode

Confira a seção de jogos e brincadeiras da "Boutique" Desejo Íntimo acessando o endereço "www.sexhopdejointimo.com.br".

domingo, 22 de agosto de 2010

Kama Sutra.

Fotos: Arte Abril.com

“Volta do Dragão” deixa a mulher sob domínio total



Esta posição sexual foi tirada dos textos orientais do Tao, que traz diversas dicas aos rapazes de como dar prazer para a sua mulher. Uma das teorias do Tao é a chama “Séries de Nove”, um exercício para ser mais eficiente na cama, em que o homem treina uma série de investidas profundas e rasas.

Na primeira fase, ele investe na vagina apenas com a cabeça do pênis, antes de recuar. Ele faz essa investida rasa por nove vezes, e em seguida investe na vagina com o pênis inteiro por uma vez. A isto se seguem oito investidas rasas e duas profundas. E então sete investidas rasas e três profundas, até chegar a uma investida rasa e nove profundas.

Para fazer a posição, a mulher se deita de costas, de barriga para cima, com as pernas dobradas na altura dos joelhos. Com as mãos, ela segura os joelhos bem separados um do outro, e ergue bastante os pés, de modo que os calcanhares se apóiem nos quadris dele. Ele se aproxima por cima, posicionando os joelhos próximos às nadegas da parceira. O rapaz então se equilibra apoiando as duas mãos em cima ou embaixo do ombro da mulher, e começa a alternar investidas profundas e rasas.

Segundo a personal sex trainer Fátima Mourah esta posição exige do porte masculino: “esse é tipicamente um exercício de força para o homem”, e é ele quem comanda a situação: “o controle é total do homem, que precisa ser forte. A mulher fica sob o domínio masculino”.

A posição pode ser uma ótima opção para fugir do sexo rotineiro: “essa posição não deve ser realizada sempre, mas quando o casal estiver procurando algo novo”, explica Fátima.

A profissional também deixa claro que, mesmo o homem estando com o comando da situação, a posição é prazerosa para ambos: “apesar do prazer ser maior para o homem, a mulher também atinge o clímax”.

(Por Rafael Bergamaschi)

Posição do “Pinheiro” proporciona penetração profunda



A posição do “Pinheiro” nasceu a partir dos estudos do “Tao”, coletânea de antigos textos chineses. Em trechos que se referem aos ensinamentos sexuais, as publicações apontam que o orgasmo feminino passa por uma série de níveis até chegar ao seu clímax. A mulher precisa experimentar prazeres diversos até ser totalmente exposta ao seu parceiro. Ao todo, a relação sexual para a mulher passa por nove níveis.

Para realizar o “Pinheiro”, o homem, com cuidado, pega as pernas femininas e as passa por trás do pescoço. Gentilmente, ela deve prender os pés da maneira que se sentir mais equilibrada e segura, sem machucar o parceiro. Uma vez posicionados de forma ereta, assim como cresce um pinheiro, ele segura a parceira pelos quadris com as mãos e penetra.

Segundo a sexóloga Fátima Mourah, nesta posição quem dá as cartas é o homem e é ele, também, quem sente mais prazer: “aqui o homem é quem comanda a relação. O corpo erguido da mulher proporciona uma penetração mais profunda”.

Uma das principais qualidades desta posição é o fato de o homem estar livre para criar e se deixar entreter pelo corpo feminino: “é possível ao homem acariciar os seios estimulando o prazer de ambos”.

(Por Rafael Bergamaschi)

Posição “Borboleta” exige do condicionamento feminino



A posição da “Borboleta” vem dos textos milenares do Tao que, além de detalhar regras de convivência entre homens e mulheres, dá dicas para melhorar o desempenho sexual entre o casal.

Para fazê-la, o homem deve se deitar de costas, com a barriga para cima e com as pernas levemente espaçadas. A mulher chega de costas para o parceiro e se senta sobre os quadris dele, inserindo o pênis na vagina ao poucos, inclinando o corpo para frente apoiada pelas mãos.

Segundo a personal sex trainer Fátima Mourah, nesta posição, a parceira é quem manda: “nesse caso o controle passa a ser da mulher”.

Para realizá-la com sucesso, no entanto, é necessário que a parceira esteja em dia com seus exercícios físicos: “ela é quem controla a penetração através dos movimentos do quadril, por isso deve ter uma boa condição física para realizar essa posição”.

Para o homem, a posição é prazerosa, pois, além da excitação de se sentir dominado e de ter uma mulher tomando as rédeas da situação, ele também tem “uma visão privilegiada”, como constata Fátima.

(Por Rafael Bergamaschi)

Posição “A Colher” permite uma união suave



Conhecida como “O Molde” ou “A Colher”, esta posição é interessante por permitir que o casal tenha uma relação sexual suave, estimulando carícias e muita intimidade.

Para fazê-la, a parceira deve deitar-se de lado com as pernas justas e flexionadas, tentado aproximá-las do peito. O homem também se deita de lado, aproximando-se da companheira e conduzindo a penetração. Os movimentos devem ser coordenados entre os dois.

Ao fazer “A Colher”, o rapaz fica com as mãos livres para acariciar os seios da companheira, assim como o clitóris. Também vale beijar e mordiscar a nunca e a orelha.

Segundo a autora Sofia Capablanca, do livro “101 Posições Sexuais” (Ed. Marco Zero), a posição é excelente para mulheres que têm dificuldade para atingir o orgasmo, pois a ângulo da penetração permite a fricção contínua do clitóris.

O homem também sente um prazer especial, já que as pernas da parceira ficam fechadas, produzindo uma sensação de compressão do pênis. “A Colher” também funciona para o sexo anal, uma vez que a flexão das pernas torna mais fácil a dilatação do esfíncter.

Variação de “O Missionário” dá mobilidade à mulher



A posição conhecida por “O Missionário” é uma das mais tradicionais do sexo, em quem a mulher se posiciona abaixo do homem, de pernas abertas, e ele comanda a movimentação. Mas uma variação desta ideia pode ser adotada pelo casal.

Para atingir este objetivo, basta que o homem passe a deitar-se de costas e a mulher fique sobre ele, na posição considerada “dominante”. Assim, a mulher pode determinar o ritmo e a profundidade da penetração.

Outro ponto positivo desta posição é que a parceira pode friccionar o clitóris no ventre do companheiro com facilidade, tornando o orgasmo ainda mais intenso. Quem também costuma apreciar esta posição é a mulher grávida, pois neste caso seu ventre não será apertado pelo peso do corpo do parceiro.

Fonte: “101 Posições Sexuais”, de Sofia Capablanca, da Ed. Marco Zero

Homens também podem adotar a posição de lótus



No dia 25 de junho publicamos no blog um resumo sobre o uso da ioga para melhorar o desempenho no sexo - relembre: Posições do Kama Sutra lembram as da ioga. Na ocasião, falamos de uma posição em que as mulheres adotam a famosa pose de lótus – sentada e com as pernas cruzadas – e que também pode ser adotada pelos homens.

Para experimentar esta novidade, vale procurar uma superfície dura, como a mesa ou o chão. Para realizá-la, a mulher deve colocar-se sobre o seu companheiro, posicionando as coxas nas laterais do seu corpo. O parceiro mantém as pernas esticadas e, aos poucos, passa a cruzá-las em torno do bumbum da parceira.

Quem domina o movimento nesta posição, chamada “Medusa”, é a mulher. O homem pode ajudá-la a manter o ritmo, movimentando a companheira ao pegá-la pela cintura.

Para alguns homens a posição de lótus pode ser incômoda, já que as pernas ficam flexionadas por um tempo. Neste caso, o melhor é esticá-las periodicamente. Mas, com a prática, a comodidade aumenta junto com o prazer.

*Fonte: “101 Posições Sexuais”, de Sofia Capablanca, da Ed. Marco Zero

Atinja a penetração profunda com a “União da Ostra”



Uma variação de outras posição já descritas aqui no blog, a “União da Ostra” também é capaz de proporcionar uma penetração profunda durante a relação sexual.

Para fazê-la, a mulher deve deitar-se de costas, abrindo completamente as pernas, que devem permanecer flexionadas. O homem então fica de joelhos diante dela, segurando a parceira pelas coxas, e começa a se inclinar até iniciar a penetração. Para facilitar a entrada do pênis, a dica é usar almofadas sob as nádegas dela.

Para começar a se movimentar, o parceiro deve se apoiar nas coxas da companheira, fazendo movimentos de vai e vem com os quadris. Nesta posição a penetração é profunda. Tenha cuidado para não machucar a mulher.

Para o rapaz, esta posição é particularmente prazerosa, pois, por estar com as pernas flexionadas, a vagina feminina é comprimida sobre pênis dele, produzindo uma sensação apertada. Já a mulher fica com as mãos livres para poder estimular ainda mais o clitóris.

*Fonte: “101 Posições Sexuais”, de Sofia Capablanca, da Ed. Marco Zero

Posição “Arco-Íris” traz novas sensações



Em um primeiro momento ela pode parecer um pouco complicada, mas as sensações que a posição chamada “Arco-Íris” proporciona valem o esforço.

Para fazê-la, a mulher deve deitar-se de lado sobre o quadril esquerdo, enquanto o homem se posiciona por trás, por entre as pernas dela, formando uma cruz com os corpos de ambos. Para se equilibrar e promover a penetração, ela deve segurar nos pés do parceiro, enquanto ele se apóia nos ombros dela.

Os dois devem então fazer movimentos de vai e vem ritmados, até chegar ao orgasmo.

Fontes: “Kama Sutra para a Mulher: Sexo Sem Limites”, de Alicia Gallotti, Ed. Planeta
“101 Posições Sexuais”, de Sofia Capablanca, da Ed. Marco Zero

Posição “A Balança” funciona melhor com uma cadeira



Se a ideia do casal é mudar o local da relação sexual experimentando novos espaços e mobílias, como cadeiras e sofás, uma boa opção de posição é a chamada “A Balança”.

Nesta posição, o homem deve sentar-se em uma cadeira, ou na borda da cama, enquanto a mulher vira-se de costas para ele, antes de sentar-se sobre suas coxas, conduzindo a penetração.

Em seguida, ela deve inclinar-se para frente para ficar em uma posição de equilíbrio, conseguindo uma penetração mais profunda. Ela pode apoiar-se nos joelhos do parceiro, que deve ajudá-la a se equilibrar pelos seios ou pela cintura enquanto a parceira faz movimentos de vai e vem.

Ao praticar “A Balança”, o homem pode acariciar o clitóris da sua companheira, ao mesmo tempo em que se realiza a penetração, aumentando a sensação de prazer.

*Fonte: “101 Posições Sexuais”, de Sofia Capablanca, da Ed. Marco Zero

“União da Deusa” promove ainda mais intimidade



Para ter uma relação sexual mais romântica, experimente fazer com o(a) parceiro(a) a posição da “União da Deusa”. Ela deve ser realizada em uma superfície macia, como a cama, e funciona melhor se o homem estiver com as costas apoiadas na parede ou na cabeceira da cama.

Para começar a “União da Deusa”, a mulher senta-se sobre o pênis do parceiro, guiando-o até a vagina. Quando a penetração for completada, ela deve apertar a cintura do parceiro com as penas. Para se movimentar, a mulher deve fazer ondulações com o quadril, estimulando o clitóris e as paredes vaginais.

Em a “União da Deusa”, o casal pode se beijar e acariciar os corpos um do outro, estimulando ainda mais a sensação de prazer.

*Fonte: “101 Posições Sexuais”, de Sofia Capablanca, da Ed. Marco Zero

Amor depois dos 40.


Elas encontraram o amor na idade da loba e esperam ser felizes para sempre...

Aos 20, o frescor da juventude: frio na barriga, calor no resto do corpo e, se possível, muita quantidade. Aos 30, a galera dá uma sossegada: grande parte julga ter encontrado a tampa da panela com quem se casa e começa uma família. Aos 40, muitas já se separaram e estão se preparando para voltar ao mercado amoroso. Outras não chegaram ao altar.

Conheça as histórias de mulheres que encontraram o amor na casa dos enta e esperam ser felizes para sempre.

Eles se conheceram no intervalo de uma peça de teatro. O economista Toni, 51, viu a dentista Mara, 46, na bomboniere. "Ele se aproximou e puxou um assunto qualquer sobre a peça. Antes de voltarmos a nos sentar, ele pediu meu telefone e eu dei. Três dias depois, fomos jantar fora", lembra Mara, contando que a paquera evoluir rápido e o namoro também. "Casamos em menos de um ano. Não tinha por que esperar! As pessoas esperavam uma cerimônia simples, mas fiz questão de tudo a que eu tinha direito: casei na igreja de noiva!", revela Mara que acredita ter enfim encontrado o amor da sua vida. "O negócio é não desistir de achar o seu par. Para o amor, a idade não conta", garante ela, com conhecimento de causa.

Em casas separadas

Ela estava divorciada, mãe de filho criado. Ele, cinco anos mais velho, tinha ficado viúvo há pouco mais de um ano e suas duas filhas não aguentavam mais vê-lo só. "Ele deu em cima, mas logo percebi que ele estava precisando de um bom colo. E dei!", conta a funcionária pública Soraia, hoje com 55 anos, casada há dez. "Somos casados no papel e usamos aliança, mas temos duas casas. Mesmo estando quase sempre juntos, cada um quis manter o seu espaço", revela, lembrando que, depois de certa idade, fica difícil abrir mão do que já construiu. "Ele é um excelente companheiro e acredito que vamos envelhecer juntos",diz Soraia.

A médica Rose J., 48, achava que tinha fechado a panela do amor quando reencontrou um amigo do passado. "Foi por acaso. Nos encontramos em uma festa de um amigo em comum e conversamos a noite toda. Trocamos telefones, saímos para jantar e tudo começou", conta ela, que vem se sentindo como se tivesse 18 anos outra vez. "É tudo igual: cinema, brigas! Ele tem muito ciúme de mim", revela, aos seis meses de namoro. "Se tudo continuar como está, temos planos de morar sob o mesmo teto", anuncia, contando com o apoio dos três filhos dela e da filha dele. "Seremos uma grande família", acredita.

Amor sem idade

Segundo a psicóloga Sabrina Dotto Billo, o amor não tem idade. "O amor depois dos 40, como tudo na vida, tem seus prós e contras. Por um lado, pode ser que o amor seja um ‘gato escaldado' e as pessoas tenham mais dificuldade para se envolver. Por outro lado, as pessoas estão mais carentes", pondera a psicóloga, para quem a paixão, esta sim, tem idade. "Os hormônios desenvolvidos durante o apaixonamento, aqueles que causam ‘frio na barriga' e fazem o coração bater mais forte, duram de 12 a 30 meses (período suficiente para copularmos). A partir de então a freqüência é cada vez menor", explica Sabrina, lembrando ainda que o que fica é o amor.

Para a psicóloga, depois dos 40 são mais valorizados fatores como o companheirismo, a convivência e o desejo de construir uma vida juntos. "O que acontece muitas vezes é que, em relacionamentos entre pessoas de mais de 40 anos, não há uma paixão avassaladora, mas em compensação isso pode fazer com que a relação seja mais duradoura", afirma a psicóloga, explicando que o amor depois dos 40 se baseia no que o outro é e não no que idealiza-se que ele seja. "Não é raro que um casal depois dos 40 possa ‘pular a etapa' da paixão e viver direto o amor, valorizando o companheirismo e convivência", conclui.

Fonte: Rosana F.

Sexo quente.


Nesse calorão, que tal uma transa ao ar livre, na praia, na mata, sob as estrelas...

Qualquer lugar é lugar

Quando o tesão está em alta, qualquer lugar pode virar cenário para as mais ousadas cenas de sexo. O usuário do Bolsa Marcos diz que adora fantasiar e realizar fantasias. "As minhas e as de minha parceira", diz, garantindo que é imprevisível e criativo. "Para mim, não existe lugar certo para fazer amor, tanto faz na praia, como em cima do capô do carro, no banheiro feminino do cinema, em cima da pia, no elevador etc", enumera ele para, em seguida, completar: "As rapidinhas também são muito bem-vindas".

Segundo o sexólogo Oswaldo Rodrigues, um local diferente do usual provoca estímulos sensoriais diferenciados. "O lugar que ainda não é conhecido aumenta a atenção, sem necessariamente produzir ansiedade", afirma, acrescentando que algumas pessoas procuram lugares inusitados porque gostam de correr o risco do flagrante. "Para estas pessoas, o risco de ser pego traz prazer e excitação".

Oswaldo destaca, no entanto, que o risco não agrada à maioria. "Poucas pessoas perceberão como favoráveis uma situação que traga medo. A maior parte das pessoas dispersarão a atenção - o que prejudicará a excitação: para os homens a ereção, para as mulheres, a lubrificação vaginal", explica.

Quem pensa em transar ao ar livre tem que conviver bem com a natureza, leia-se: insetos, areia, vento na cara, barro da unha e outras condições bem diferentes do conforto que se tem entre quatro paredes. "Depois do sexo ao ar livre, algumas pessoas verão as picadas de mosquito como troféus do que conseguiram. Outras trazem reações alérgicas a plantas, grama, insetos variados, associando aquela situação a um sexo muito ruim, não mais desejando passar pela situação", pondera o sexólogo.

"Sexo no mato, num gramado ou em locais similares precisa ser pensado. O casal deve perceber que não terão muitos confortos a que estão acostumados, mas que algumas situações serão realmente diferentes, a exemplo do calor se estiverem sob o sol ou o frio da noite ao ar livre", esclarece o sexólogo, sinalizando, por fim, que as sensações diferentes podem, sim, aumentar o prazer.

Fonte: Rosana F.

sábado, 14 de agosto de 2010

Perfume do desejo.


A gente faz tudo para ser mais atraente na hora da sedução, não é verdade? Roupas provocantes, alguma pele de fora, uma empinadinha aqui, um gestinho gracioso ali, uma jogada de cabelo oportuna... Mas você sabia que, de todos estes artifícios opcionais, o mais eficiente pode ser algo que “veio de fábrica”?

O corpo exala naturalmente, umas substâncias químicas chamadas feromônios que são captadas por indivíduos de uma mesma espécie e permitem o reconhecimento mútuo e sexual. Ou seja, é o cheiro que desperta o instinto sexual.

Essa é a principal técnica entre os animais para encontrar seu par. “Nós, humanos, também produzimos o feromônio naturalmente, mas em proporções diferentes. Porém, os cheiros dos cosméticos que usamos diariamente como óleos corporais alteram esse odor natural”, diz o ginecologista e sexólogo Amaury Mendes Junior.

Homens e mulheres produzem feromônios, porém em escalas diferentes. Aliás, cada pessoa, ainda que seja do mesmo sexo, produz o hormônio em proporções diferentes.

Segundo ele, os odores estão intimamente ligados à produção hormonal, não é uma receita de bolo. “Existem várias modulações atrativas. O cheiro está diretamente ligado à libido de cada pessoa. Se você está bem com você e com seu companheiro, seu corpo exalará um odor e a pessoa vai perceber isso e sentirá mais atraída. Já uma pessoa que está deprimida não produz esse odor, portanto não atrairá tanto quanto uma pessoa com auto-estima elevada”, diz.

Para deixar todo tipo de pessoa atraente, independentemente do seu estado emocional, já existe no mercado perfumes à base de feromônios. Eles tentam imitar os efeitos produzidos pelo hormônio natural. Há quem garanta que funciona, mas segundo doutor Amaury o efeito desses perfumes ainda não é cientificamente comprovado.

Para o sexólogo, o perfume é um ‘plus’: “O feromônio natural causa o efeito que todos querem, desde que haja estímulo de desejo”. Em outras palavras: estar de bem com vida e com a pessoa desejada é a única receita confiável para ser irresistível.

Fonte: Amaury Sexologo - www.amaurysexologo.med.br

Truques de meninas.


Sempre buscamos melhorar nossas performances em todas as esferas de nossas vidas. Por que não no sexo? Fazer algo diferente vai atrair a atenção do parceiro e demonstrar claramente a ele o que é que você está mesmo querendo.

Qualquer coisa que estimule os sentidos vai incrementar a relação e reforçará o laço de intimidade. Um cheiro, um gosto, uma imagem, um som...

Se a mudança que quer propor inclui, por exemplo, um brinquedo erótico esta decisão deve ser avaliada e sondada antes com o parceiro. Já pensou se ele chega e é surpreendido por um vibrador, mas não topa a brincadeira? Então, conversem sempre para saber os gostos e os desejos um do outro.

Mas você pode abusar para conseguir o que quer. Regina Racco, que possui mais de 20 anos de experiência como professora de pompoar, conta um truque que ajuda muito: “A um adulto podemos dizer não, a uma menina nunca! Pule em seu colo, seja dengosa e peça com carinho. Se for algo muito inusitado e você achar que ele não entenderá, vá aos pouquinhos aumentando essa parceria. Massagens, surpresinhas, como um jantar romântico, por exemplo, podem servir de excelentes pretextos para conseguir aumentar essa intimidade”.

Você é tímida? Os homens também são. Durante milhares de anos vivemos reprimidos por uma cultura na qual o sexo é visto como um assunto tabu, inclusive para os homens.

“Seguir os caminhos do lúdico. Desperte a menina que existe em você e brinque bastante. Adultos têm muito senso crítico e quando o assunto é prazer, precisamos de liberdade para criar. Seja uma menina ‘sapeca’, ele vai adorar!”, disse Regina.

Que tal aparecer para o seu parceiro com uma lingerie ousada? Se você for muito tímida e utilizar uma peça de cor diferente das que está habituada a usar, já será uma mudança. Que com certeza será notada.

Proponha uma massagem. Compre um óleo ou um creme especial, pense num cheiro que ele gosta e brinque! O importante nestas ocasiões é divertir-se. Permitam-se rir juntos.

Se vocês já têm uma relação mais íntima, que tal uma visitinha a uma sexshop? Você compra algo para ele, ele te presenteia com algo diferente... Comprem um Kama Sutra, leiam juntos, testem posições novas. Vocês até podem não conseguir executar algumas das posições inusitadas propostas pelo livro, mas vão se divertir muito.

Quebrem a rotina! “Busquem sempre manter o costume de curtir seus momentos íntimos. levem novidade aos encontros amorosos e quando falo encontro, estou me referindo também aos casais casados. O que fazem em seu quarto, são encontros, portanto, amem-se com a consciência da presença e todo o carinho possível”, reforçou a experiente Regina.

Fantasiar faz parte das brincadeiras de criança, e é algo que se esquece com o passar do tempo. O dia-a-dia, as obrigações da profissão, dos estudos, acabam tomando o espaço lúdico. O sexo é uma “brincadeira” de gente grande, que inclui a responsabilidade consigo, com o parceiro, com os limites físicos e emocionais dos dois. Não se esqueça disso.

Fonte: Regina Racco - www.pompoarte.com.br

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Orgasmo vaginal x orgasmo clitoriano.

Foto: Getty Images

Ainda bem que há inúmeras possibilidades de sentir prazer. Na hora de ter um orgasmo (ou vários), não é diferente. Entenda o que é cada um deles e o que você precisa saber para chegar lá...

Na cama vale tudo. Tudo o que traga muito prazer pra você e para o seu parceiro. E, nessas horas, nada melhor do que você se conhecer e entender como o seu corpo funciona para experimentar (e indicar) o caminho da felicidade. E, quando se pensa em ápice de prazer, a primeira palavrinha que surge é orgasmo!

E isso tem lá a sua verdade. De acordo com o dicionário Houaiss, orgasmo pode ser definido como momento em que o prazer da excitação sexual atinge o máximo de intensidade. Ou, em um sentido figurado, efervescência de sentimentos, excitação incontrolável do espírito que se pode manifestar em reações físicas. Isso a mulherada já sabe muito bem!

O que pode ser novidade é que há duas maneiras de chegar a esse ponto, quando a estimulação se dá na genitália feminina: um é o orgasmo vaginal e o outro, o orgasmo clitoriano.

A diferença

Os dois são excelentes e levam qualquer mulher à loucura. O que os difere é apenas o ponto do corpo onde você é estimulada e a dificuldade de conseguir atingi-los. O orgasmo clitoriano é mais fácil de ser atingido, porque o clitóris é um ponto específico, externo, de fácil acesso, com gatilho para a sensação de prazer. Isto difere do orgasmo vaginal, que muitas mulheres têm dificuldade de atingir, por estar condicionado a um ponto desconhecido e de difícil acesso, explica a Dra. Rosa Maria Neme, ginecologista, diretora do Centro de Endometriose São Paulo e integrante da equipe médica do Hospital Israelita Albert Einstein, Samaritano, São Luiz e Sírio Libanês.

Para chegar lá

O caminho não é como receita de bolo, com medidas certeiras e iguais para qualquer mulher. Mas para sentir esses dois tipos de orgasmos o corpo exige atenção em duas regiões diferentes da vagina. Para o vaginal, é preciso estímulos contínuos em pontos diferentes dentro da vagina. O clitoriano acontece com manipulação, contato contínuo ou vibratório que estimulam as fibras nervosas do clitóris e disparam um estímulo.

O mais frequente

Avaliar qual é o queridinho entre as mulheres e qual é o mais fácil de atingir pode gerar discussão para horas de conversa com as amigas. Mas a ginecologista Rosa Maria garante: Em geral, o clitoriano é o mais fácil de ser atingido. O clitóris, por ser um órgão externo e de fácil fricção, desempenha um papel muito significativo para se atingir o orgasmo. Facilita também porque ele também é fortemente inervado, o que o torna mais sensível.

Elas estão com tudo

Se os homens acham que o problema para atingir qualquer tipo de orgasmo é exclusivamente das mulheres, estão enganados (eles adoram aquele papinho de bloqueio psicológico...). De acordo com pesquisas realizadas pelo Ibrasexo – Instituto Brasileiro Para a Saúde Sexual – as mulheres estão cada vez mais rápidas para atingir o ápice do prazer.

Se forem bem estimuladas nas preliminares (perceberam a importância do momento anterior?), elas levam de 8 a 20 minutos de penetração com movimentação ativa para sentir a felicidade do orgasmo. E aí, tanto faz se for vaginal, clitoriano ou os dois. Vale mesmo é sentir o máximo da excitação sexual.

Fonte: Glycia Emrich

Como saber se ela finge o orgasmo?


Chega de mentira: Algumas mulheres gritam na hora do orgasmo, outras não. Mas há modos de perceber se ela fingiu ou não.

Há mulheres que mereciam ganhar o Oscar de melhor atriz, porém, por melhor que seja a interpretação, há como perceber se o nirvana é verdadeiro.
Vladimir Maluf

Será que você presta atenção na sua parceira na hora do orgasmo? Há quem diga que é impossível descobrir se a mulher está sendo sincera ou não nesse momento. Mas a psicóloga especializada em terapia de casais diz que há, sim, como notar. A mulher não consegue imitar todas as sensações do orgasmo e, se o homem prestar atenção, percebe, com certeza”.

“Algumas gritam mesmo, outras, não. Então, isso não tem como saber por esse detalhe. Porém, o orgasmo muda a respiração, causa transpiração no corpo todo, o coração bate mais rápido”. E o principal. “No pico do orgasmo, o corpo fica rígido e, em seguida, relaxa. Essas sensações, todas juntas, são impossíveis de imitar”.

Conheça alguns sinais

Pouco antes de atingir o orgasmo, o clitóris retrai. Então, se você notar que ele está desaparecendo, é um bom sinal. Não pare! Claro, você pode observar isso durante o sexo oral, ou tocar essa região durante o sexo. Assim você ainda faz um agrado para ela.

Além disso, pupilas dilatadas são um forte indício de que ela está prestes a chegar lá. Ok, as luzes precisam estar acesas para você observar isso. E também pode ser um pouco complicado reparar se as pupilas dilataram entre o antes e o depois, mas vale a dica.

Talvez um pouco mais fácil de notar é ver se os lábios incharam e ficaram mais vermelhos (os lábios da boca e os vaginais também) com a excitação. Mas nada de dar-lhe um beijo caliente, que pode causar essas reações da mesma forma.

Agora o principal sinal de que ela chegou ao orgasmo é a maior intensidade dos espasmos vaginais. São entre 3 e 10 contrações, no auge, que irão tornar a vagina mais apertada, coisa que você irá notar. Repare também se a sua companheira arqueia as costas, se os mamilos ficam mais duros e se o clitóris fica muito sensível. O normal é que ela diminua bem o ritmo ou pare completamente após o orgasmo em decorrência dessa sensibilidade.

Por fim, mas não menos importante, veja se ela se levanta logo em seguida ou se fica deitada por uns minutos. Isso porque o orgasmo causa um efeito químico no corpo que faz com que a maioria das mulheres fique deitada por alguns minutos. Se isso não acontecer e ela levantar cheia de energia logo em seguida, desconfie!

Para ela ter orgasmo

Segundo Marina, um dos grandes motivos para a mulher não chegar ao orgasmo é a falta de preliminares. “O homem é como a boca do fogão; a mulher, o forno. Para ele, basta apertar o botão e ele está aceso. Ela, não, precisa ser aquecida”, compara. “Beije bastante, faça carícias, tenha o toque delicado. Descubra o que a sua parceira gosta na cama”.

Outro problema importante é que, muitas vezes, o homem não permite que a mulher expresse suas vontades. “Há homens que não deixam a mulher pedir o que gostam. Ofendem-se, como se elas quisessem dizer que ele não é bom de cama. Mas não é isso. Portanto, permita que ela mostre o que lhe dá prazer”

O que as leva a fingir?

Há muitos motivos para a mulher inventar que está sentindo algo. “Algumas não atingem se não estão apaixonadas, se não têm uma relação legal ou simplesmente não estão a fim e, para agradar o parceiro, fingem”. Por outro lado, há quem não consiga chegar ao orgasmo. “E aí precisa ser tratada em uma terapia sexual. Em alguns casos, o psicólogo indica até procurar um médico, pois o problema pode ser físico.”

“Em transas casuais eu já fingi. Com namorado, não”, diz Flávia*, 29 anos. “Às vezes, você não está a fim e o cara insiste. E aí a mulher finge para ele gozar e acabar logo”, revela. Melissa*, 24 anos, diz algo bem estranho. “As melhoras transas que eu já tive, não gozei”. E nem ela sabe explicar o motivo. “Às vezes eu finjo para não decepcionar meu namorado, mas eu gozo, sim. Sempre. Só finjo às vezes”.

Renata* diz que também tem que bancar a atriz sempre. “Se está machucando e o cara não quer gozar antes de você, não tem jeito”, diz a moça de 27 anos. Quem assume que ter orgasmo é um evento raro é Joana*, 30 anos, “Eu quase nunca gozei. E já fingi muito para agradar meu namorado”, diz. “Com sinceridade, eu não gosto tanto de sexo assim, de penetração. Eu gosto do envolvimento com ele, da vida a dois”. Segundo ela, para o marido não fazer perguntas, ela interpreta constantemente.

* Os nomes foram alterados a pedido das entrevistadas.

Fonte: Estilo IG notícias

Dez dúvidas (deles e delas) sobre pênis.


Você tem vergonha de falar sobre pênis? A gente não. Por isso mesmo levamos as dúvidas mais frequentes dos nossos leitores (homens e mulheres) ao especialista Marco Arap, urologista do hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

Durante um bate-papo sem rodeios, Arap falou sobre ereção, curiosidades e o tão questionado tamanho “normal” do pênis - encanação muito comum entre eles. Para as dúvidas mais ousadas e altamente eróticas, consultamos a “sex trainer” Daniela Cardoso, que explica como dar mais prazer ao parceiro.


Obs. O tamanho médio do pênis do brasileiro é entre 12 e 15 centímetros.

Elas querem saber:

1 - O pênis circuncidado faz diferença ao prazer do homem?

Sim. O operado de fimose pode ter mais sensibilidade à dor, mas também maior intensidade de sensações prazerosas, elevando assim o orgasmo. Para quem não sabe, a circuncisão é uma pequena intervenção cirúrgica que retira parte da pele que cobre a glande do pênis. Uma pesquisa realizada na África comprovou que os homens “sem pele” têm menos chance de contrair DST´s e HPV, mas nem por isso o uso do preservativo é dispensável. (Marco Arap)

2 - Qual a parte do pênis é mais prazerosa ao toque? Como estimular?

É a região que fica logo abaixo da glande, que é conhecida como “cabeça" do pênis. Experimente preparar um ambiente envolvente e brinque com o corpo dele. Passe um pouco de lubrificante térmico com sabor em todo pênis, espalhe o produto apenas com as pontas dos dedos e assopre para que ele aqueça. Corra com a língua e os lábios por toda a extensão e faça uma leve pressão de vez em quando. (Daniela Cardoso)

3 - O que é mais importante para a mulher sentir prazer, comprimento ou espessura?

Normalmente, nenhum dos dois. Obviamente que os extremos são sempre prejudiciais - não dá pra ser grande demais, pequeno demais, grosso em exagero ou muito fino -, contudo, o prazer está mais ligado à sintonia entre o casal e preliminares. Não adianta ele ter um pênis enorme e não se preocupar com o prazer da mulher.(Marco Arap)

4 - Por que alguns homens não conseguem manter a ereção mesmo sentindo desejo?
São múltiplas razões. Pode ser problema físico ou psicológico, medicamentos, doenças crônicas. Uma lesão de artéria por diabetes, infarto, derrame, remédios hipertensão, arritmia. Também problemas financeiros, familiares, no emprego, desgaste no relacionamento, stress, tabagismo, alcoolismo, cobrança. A adrenalina é inimiga da ereção. (Marco Arap)


5 - Se os homens sentem tanta dor na bolsa testicular, como posso acariciá-la?

O escroto é uma região muito sensível, mas extremamente erógena, assim como os seios da mulher. Mas existe muita diferença entre fazer carinho e apertar, qualquer coisa mais agressiva vai doer mesmo, tem que ser suave. (Marco Arap)
Lubrifique bem os testículos e passe a mão suavemente em movimentos de “vai e vem”, use os dedos para fazer carinho. Pode dar apertadinhas de leve, tocar um testículo de cada vez e brincar com a boca. O escroto é tão sensível que o homem pode chegar ao orgasmo apenas com carícias nessa parte. (Daniela Cardoso)

Eles querem saber:

6 - Qual o tamanho normal do pênis? Existe uma média no Brasil?

A média está entre 12 centímetros e 15 centímetros em estado ereto. O tamanho depende de diversos fatores, como raça e tamanho da pessoa. Com relação ao que é “normal” ou não, podemos considerar que abaixo de 6 centímetros em estado ereto pode ser considerado um problema, dependendo do entendimento da pessoa. Contudo, mesmo assim é possível proporcionar prazer à mulher, isso porque a zona de prazer fica na entrada da vagina. (Marco Arap)

7 - Meu pênis é torto. É um problema que pode ser tratado? Interfere na vida sexual?

Nunca o pênis é absolutamente reto e a curvatura pode ou não ser um problema, isso depende do grau, da direção, se existe a presença de dor ou a impossibilidade de penetração. A curvatura, conhecida como doença de Peyronie, pode ser congênita - que se manifesta desde o nascimento -, ou adquirida ao longo do tempo. Tem casos complexos, existe pênis com mais de 90º de curvatura para o lado ou espiral. O tratamento é cirúrgico e, às vezes, é necessário utilizar enxerto. (Marco Arap)

8 - Pênis quebra? O que fazer nesses casos?

Quebra. Existe fratura de pênis. Ocorre normalmente durante a relação e o quadro clínico é o barulho, seguido de dor súbita e hematoma. Geralmente acontece quando a mulher está por cima durante a transa. O indicado é ir direto para um hospital e procurar um urologista para realizar a cirurgia corretiva. (Marco Arap)

9 - Como higienizar o pênis corretamente? O que a limpeza errada pode acarretar?

É necessário limpar toda a superfície, inclusive a parte que fica coberta quando o pênis está flácido. Evite ficar mais de 24 horas sem limpeza. Os pacientes não operados de fimose precisam tomar mais cuidados porque a área escondida pela pele costuma acumular secreção e causar inflamação - mais conhecida como balanite, na glande do pênis. Em casos realmente muito graves de descuido com higiene é possível desenvolver câncer de pênis e o tratamento seria a cirurgia e até amputação. (Marco Arap)

10 - O tamanho pode diminuir com o avanço da idade?

Não existe essa relação com a idade. O pênis só pode diminuir por consequências de cirurgia de câncer de próstata ou pélvico. Não há com o que se preocupar porque ele ficará sempre com o mesmo tamanho que já tem. (Marco Arap)

Fonte: Andrea Giusti, iG São Paulo

Oito curiosidades sobre o orgasmo.


31 de julho é o Dia do Orgasmo. Essa sensação de prazer e satisfação faz o coração bater mais forte, relaxa o corpo e deixa a gente mais feliz! E o clímax esconde também outras propriedades e características – algumas delas até curiosas. Selecionamos oito fatos e curiosidades sobre o orgasmo que você provavelmente não sabia.

1 - O orgasmo feminino pode ser mais longo que o masculino – ponto para as mulheres!

2 - A palavra orgasmo vem do grego "orgasmós", que significa "ferver de ardor".

3 - Pesquisadores escoceses e belgas defendem que é possível determinar se uma mulher tem orgasmos vaginais pela maneira como ela anda. Segundo eles, a anatomia determina a capacidade de uma mulher gozar se estimulada pela vagina e, portanto, especialistas podem fazer a análise desses orgasmos apenas ao observá-la caminhando. Os autores do estudo apontam também que os músculos da pélvis mais tensionados podem indicar dificuldades sexuais, enquanto um andar confiante mostra satisfação.

4 - Já outra pesquisa feita na King´s College de Londres diz que as mulheres com inteligência emocional têm mais orgasmos. Ou seja, aquelas que lidam melhor com os sentimentos próprios e dos outros sentem mais prazer. Ótimo motivo para ser mais compreensiva, certo?

5 - Usar salto alto é, além de sofiticado e sexy, benéfico para a vida sexual feminina. Um levantamento feito na Universidade de Verona mostrou que andar com um sapato moderadamente alto condiciona os músculos – inclusive os da região pélvica, que ajudam a sentir prazer.

6 - Na hora do orgasmo, as paredes da vagina soltam uma pequena descarga elétrica. “Cinco mulheres, neste momento, poderiam produzir energia suficiente para acender uma lâmpada de 1 volt”, estimam o jornalista Marcelo Duarte e o ginecologista Jairo Bouer autores do livro “Guia dos Curiosos – Sexo” (Panda Books).

7 - Aquela taça de vinho ou champagne pode não te ajudar tanto assim na hora do sexo, apesar de diminuir a inibição. Quando a mulher ingere álcool pode demorar muito mais para chegar ao orgasmo, já que ele atinge o sistema nervoso central. O brinde não parece mais tão romântico,

8 - Os cariocas têm mais orgasmos nas relações sexuais do que os mineiros. Segundo a pesquisa Mosaico Brasil, realizada em nove capitais brasileiras, 93,8% dos homens e 77,2% das mulheres do Rio de Janeiro disseram que têm orgasmos freqüentemente. Já em Minas Gerais o número cai para 91% dos homens e 71% delas. O estudo foi comandado pela psiquiatra e sexóloga Carmita Abdo.

Fonte: Redação IG

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Strip-Tease: Algumas dicas para as iniciantes.


Fazer um Strip-Tease não é tão difícil quanto parece. Truques e técnicas seguidos corretamente darão graça e sensualidade aos seus movimentos, independentemente da sua estética corporal.

O Strip-Tease é maior que o simples ato de despir, é uma autêntica arte do saber criar o desejo, é a arte da sedução. Seu objetivo não é o tirar a roupa, mas criar clima erótico onde algo vai ser desvendado, fazendo todos os sentidos entrarem em ação.

O curso “A Arte do Strip-Tease” irá levá-la ao conhecimento de algo que já existe em você: A sua sensualidade feminina tornando você mais sexy e atraente, deixando sua feminilidade muito mais aflorada.

O Strip-Tease é uma maneira especial de sair da rotina do relacionamento sexual, tornando o momento marcante e inesquecível, além de ser uma das principais armas para aquecer uma bela noite de amor.


O que os homens acham?

A maioria dos homens adoram qualquer coisa que a mulher prepara para ele, desde um prato delicioso, até aquelas brincadeirinhas sexuais bem apimentadas. E quanto ao Strip-Tease?

Acabei descobrindo que mesmo nos tempos de hoje ainda existem homens que não acreditam que sua companheira, consiga fazer um strip-tease, que isso acontece somente em casas de shows. Porém, quando ganham um presente desses cada um tem uma reação. Uns ficam nervosos pelo fato de nunca imaginar que ia receber uma supressa dessa, outros ficam hipnotizados, alguns ficam assustados com todo o poder de sedução de sua amada, mas praticamente todos adoram.

"Se existir algum que não goste , pode ser que ele tenha medo de descobrir o grande potencial de sua mulher. Provávelmente ele é inseguro e não sabe aproveitar o que é bom."

Segundo pesquisas, a gande maioria dos homens que ainda não recebeu uma supressa dessa, sonha que isso aconteça. Alguns deles disseram que pedem para a mulher fazer, mas as reações delas são mais ou menos assim; Sorri e diz que um dia vai fazer e esse dia nunca chega. Algumas dizem que não sabem, outras tem vergonha. O homem é muito mais visual que a mulher e o Strip mexe muito com o eles deixamdo-os excitados: eles realmente adoram!

Já notou o quanto você é bela? Já sentiu o quanto você é sensual?

Caso ainda não, esse é o seu primeiro passo para realizar um Strip. Tenha a certeza que você é gostosa, poderosa, enfim ame-se por inteira. E fique atenta, pois existe muitas mulheres que já sabem fazer, e que a maioria dos homens adoram ou os que ainda não tiveram a oportunidade de ver tem uma enorme curiosidade. Surpreenda seu amor, além dele adorar, você receberá um enorme prêmio, adivinhe o que? Então não perca tempo aproveite as dicas abaixo e mãos a obra.

1 - Curta, sinta e aprecie seu corpo por inteiro, você é linda acredite no seu poder de sedução.

2 - No seu primeiro Strip escolha uma roupa fácil de tirar, pode ser apenas uma camisa dele com uma maravilhosa lingerie por baixo, uma camisola com um penhoar ou, blusa saia uma meia 7/8 , use sempre salto alto, cuidado com acessórios podem enroscar na roupa.

3 - Escolha um ambiente aconchegante. A primeira vez sempre aconselho um motel, além de ser tranqüilo também mexe com o libido de vocês. Se gostarem coloque algum incenso, ou velas aromatizadas.

4 - Pouca iluminação, música sensual desde que os dois gostem e claro, um ritmo que você acompanhe. Fica uma dica: antes escute varias vezes a música que você escolher, assim você acaba memorizando o tempo e as batidas, e vai se sentir mais segura.

5 - Mantenha o quadril em movimento, serpenteando-o quase o tempo todo, do inicio até o fim do Strip. Um olhar sensual, todo seu charme e poder se sedução com certeza vai deixá-lo louco de desejo. O olhar é muito importante através dele você também consegue transmitir o quanto está desejando seu parceiro.

6 - Agora o momento especial de tirar cada peça. Tire com movimentos lentos, e sempre olhando para ele, nunca olhe para a roupa.

7 - Se for desabotoar uma blusa, ou descer um zíper, de preferência deixe ele ver o que você está fazendo, se quiser pode jogar alguma peça nele, ex: uma meia, luva, coisas leves, a calcinha deixe por último, caso queira deixe ele tirar, essa pode ser uma estratégia para terminar seu Strip daí para frente é com vocês. Aproveitem o máximo deste momento.

Fonte: Artes Sensuais