sábado, 29 de outubro de 2011

Especial Orgasmo: tudo começa na cabeça.

O Dia Mundial do Orgasmo foi informalmente criado na Inglaterra no dia 31 de julho de 1999 por redes de sex shops. Estas realizaram pesquisas que revelaram que 80% das mulheres inglesas não atingem o clímax em suas relações.

Em termos de insatisfação sexual, os brasileiros não ficam longe. Estudo conduzido pelo Projeto de Sexualidade da USP (ProSex) detectou que 50% das brasileiras têm problemas. Cerca de 12 milhões de homens sofreriam de alguma disfunção sexual. Fonte: Wikipedia

Esses dados só sinalizam que a repressão sexual ainda tem seus efeitos no século 21. De um outro lado, a idéia atualmente disseminada do sexo como esporte e bom desempenho tem levado às pessoas a buscar o prazer como fruto de uma boa perfomance sexual.

Terapeutas defendem que o orgasmo não pode ser o objetivo final de uma relação sexual. Na verdade, ele é uma consequência do bem estar sexual, de uma relação afetiva de confiança, entrega, cumplicidade, boa saúde e de felicidade.
Todos nós que trabalhamos com erotismo estamos contribuindo para um exercício mais livre da sexualidade. Só precisamos encontrar o equilibrio para continuar ajudando as pessoas a serem cada vez mais felizes. Satisfação sexual é sinal de qualidade de vida, respaldado pela Organização Mundial de Saúde.

Fechamos nosso especial do Dia do Orgasmo com a importância da imaginação para chegar ao “topo dessa montanha de prazer”. Até agora falamos da necessidade de sensibilizar o corpo para que ele se torne perceptivo aos estimulos sexuais e receptivo às ondas que provocam o orgasmo.

Mas tudo começa mesmo é na cabeça, nosso principal órgão sexual. Se a pele é o nosso maior órgão sexual, (porque é a maior superfície que recebe as informações sensuais), é o nosso cérebro que vai interpretá-las e distribui-las pelo corpo guiando-o através da fantasia, do desejo e da libido para o “grande momento”.

Sexo é um impulso natural em nós, mas pode ser muito mais prazeroso quando passa a ser também uma atividade criativa. Para chegar nesse nível é preciso pesquisar sobre o assunto, ler, frequentar cursos e palestras, ir à exposições de arte erótica e porque não (?), ver filmes adultos.

Como fantasiar se não houver conteúdo para isso? Se abastecer de histórias, contos, conversar a respeito com o parceiro, forma em nossa mente um repertório sexual mais rico e torna a vida mais emocionante.

Desejamos a todos vocês vários dias de orgasmos multiplos, plenos, e intensos!

Fonte: Adão & Eva

Nenhum comentário:

Postar um comentário